Parex Engenharia | Tendências sobre o futuro da montagem e construção
16383
post-template-default,single,single-post,postid-16383,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1400,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-13.4,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

Tendências sobre o futuro da montagem e construção

Ideias

Tendências sobre o futuro da montagem e construção

A indústria da montagem e construção possui uma série de desafios que precisam ainda ser solucionados para a promoção de um novo patamar de produtividade no setor. Neste artigo serão apresentadas as principais tendências tecnológicas que estão sendo desenvolvidas no setor de construção e como ela poderão colaborar para a transformação neste setor.

Modelagem de construção 5D – BIM

As diversas fontes de informação de um projeto podem ser convergidas para uma única plataforma de trabalho que contempla os aspectos técnicos e de gestão dos empreendimentos, evitando os problemas de integração e consistência dos projetos. Além da concepção tridimensional dos projetos técnicos, as informações de custo e prazo são integradas em uma mesma plataforma. Assim uma plataforma BIM, além de reduzir retrabalhos e inconsistências entre todas as partes envolvidas em um projeto, possibilita também a exploração dos impactos de mudança no projeto.

Levantamento automatizado de informações de campo

A tarefa de levantamento de campo e características topográficas estão aos poucos cedendo espaço para a aplicação conjunta de ferramentas de georreferenciamento, processamento digital de imagens, drones e lidar (light detection and ranging). As informações de características de terrenos, bem como as suas medidas topográficas podem ser obtidas pela captação de fotografias de alta resolução e importadas diretamente em plataformas de desenvolvimento de projetos, reduzindo o custo e o tempo das tarefas de levantamento de campo.

Colaboração Digital

A gestão de projetos de construção é fundamental para o cumprimento das expectativas de custos e prazos assumidos perante aos clientes. Um dos fatores que consome maior parte do controle gerencial é a adoção de registros não consumíveis digitalmente, ou melhor, a utilização ainda de controles isolados e em papel. A ausência de uma plataforma de colaboração digital impõe atrasos na comunicação bem com visões distintas da realidade para cada parte envolvida, consequentemente implicando em divergências e futuras discussões de “change orders” e “claims”. A colaboração digital contempla todas as áreas em um projeto de construção, pois todas elas envolvem a troca de informações com equipes internas e empresas externas, como por exemplo: cronogramas de atividades, workflows de aprovação, gestão de materiais, projetos de engenharia, controle de qualidade, gestão de contratos, gestão de produtividade e gestão de força de trabalho.

Internet das Coisas e Data Analytics

A variedade de sensores disponíveis nos equipamentos industriais e de construção oferecem hoje uma grande quantidade de informações que além de possibilitarem a interação entre dispositivos também oferece uma fonte de conhecimento para análises mais elaboradas da operação em campo, bem como a gestão da manutenção e inventário de equipamentos. Algoritmos estatísticos, como as técnicas de Machine Learning, aplicados a esta base de dados podem identificar possíveis anomalias, tendências comportamentais e riscos operacionais.

Desenvolvimento de novos materiais e pré-construção

A busca de soluções sustentáveis de baixa emissão de carbono, eficiência energética, facilidade logística, aumento de vida útil e pré-montagem off-site incentivam o desenvolvimento de novos materiais e processos construtivos. Os módulos de impressão 3-D e a construção auxiliada por robôs são iniciativas recentes que já suportam algumas atividades específicas.

Monitoramento da Construção

A medição digital por imagens captadas por drones e dispositivos de monitoramento de consumo de insumos podem acompanhar o processo de construção identificando possíveis retrabalhos na montagem de estruturas em relação ao projeto e também monitorar de forma ativa as perdas produtivas envolvendo equipamentos e força de trabalho.

Estas são algumas das diversas tendências de novas ferramentas tecnológicas que estão sendo desenvolvidas para o setor de engenharia e construção. Muitas outras estão sendo discutidas e adaptadas de outros segmentos para o segmento industrial, com é o caso da realidade virtual, o blockchain, entre outras que poderemos discutir em futuros artigos.

Considerações Finais

A adoção de novas tecnologias nos projetos de construção industrial, envolve não somente o aporte de recursos financeiros mas uma mudança cultural de todos os envolvidos. Por ser um negócio de mão de obra extensiva, a automatização de atividades precisa ser tratada dentro de um programa de transformação digital que proporcione o apoio de todas as partes envolvidas reduzindo as resistências naturais provocadas na implantação de mudanças. Um programa especial com os clientes também precisa ser realizado ao promover a transparência e o comprometimento de contratantes e contratados no sucesso de cada transformação, que precisa ser flexível mas sem perder sua orientação ao retorno dos investimentos.

Referências:
Imagining construction’s digital future, McKinsey Company. June 2016.
Digital in Engineering and Construction, Boston Consulting Group. Mar 2016.

Créditos das imagens: Freepik