Parex Engenharia | Inovação aberta para a melhoria da produtividade na construção
16390
post-template-default,single,single-post,postid-16390,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1400,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-13.4,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.5,vc_responsive

Inovação aberta para a melhoria da produtividade na construção

Construção

Inovação aberta para a melhoria da produtividade na construção

A indústria da construção passa hoje por um momento de busca incessante por alternativas de aumento de competitividade em um mercado com escassez de grandes investimentos. O atendimento dos prazos e a redução de custos dos projetos de construção não é condição suficiente para a sustentabilidade de empresas deste setor. É preciso buscar um novo patamar de produtividade que possa transformar os processos de produção e gestão das obras em um fator de competitividade e diferenciação para as empresas deste setor. Neste cenário a inovação aberta passa a ser uma importante ferramenta para a transformação de empresas de culturas tradicionais de operação.

Produtividade no Setor da Construção

Uma pesquisa recente da Mckinsey avaliou a produtividade do setor de construção ao longo do tempo. Foi verificada uma estagnação do indicador de produtividade frente as demais atividades econômicas. Estima-se um crescimento médio de 7% do índice de produtividade nos últimos 20 anos, comparados a uma crescimento de 30% para outros setores industriais.

Pesquisa Mckinsey sobre produtividade no setor de construção.

Pesquisa Mckinsey. 2016.

Um estudo similar realizado pela World Economical Forum no mercado norte-americano aponta um cenário ainda mais desafiador, ao ilustrar uma retração no índice de produtividade do setor de construção.

Produtividade de empresas americanas de Engenharia e Construção.

Produtividade de empresas americanas de Engenharia e Construção.

Fatores da baixa produtividade

Diversos fatores foram citados para esta baixa produtividade do setor de engenharia e montagem quando comparados aos demais setores. Dentre os tópicos citados destacam-se:

  • relações externas com órgãos reguladores
  • relação entre contratante e contratados
  • baixa velocidade na adoção de novas tecnologias e práticas operacionais

 

Se pudermos analisar somente o aspecto da digitalização, como uma associação sobre o ganho de produtividade em tecnologia, podemos observar o mesmo resultado setorial. No mesmo relatório de produtividade da Mckinsey que o posicionamento do setor da construção com relação a digitalização é muito defasada, sendo superior somente ao desenvolvimento do setor da agricultura e caça.

Digitalização por Setor Industrial

Digitalização por Setor Industrial. McKinsey, 2015.

Com um mercado de construção no mundo estimado na ordem de $10 trilhões anuais, ou cerca de 6% do GDP (Gross Domestic Product) , o volume de investimentos em pesquisa e desenvolvimento e aplicação de tecnologia da informação nesta área é inferior a grande maioria dos demais setores econômicos. Estima-se investimentos inferiores a 1% da receita nas áreas de P&D e tecnologia da informação nas empresas do setor .

Inovação aberta como ferramenta de aumento de produtividade

Uma vez que grande parte das empresas de construção pesada no Brasil são empresas de longo período de vida e que cresceram em uma cultura organizacional mais tradicional, a inovação aberta se apresenta como uma ferramenta importante a ser integrada à estratégia de sustentabilidade destas empresas. Como alternativa aceleradora da busca da incorporação da inovação na rotina das empresas, o modelo de inovação aberta pode ser adotado ao se buscar, por exemplo, a aproximação com as universidades e, ultimamente com maior intensidade, o ecossistema de startups. Assim é possível buscar melhores resultados ao se incentivar a busca de soluções inovadoras em outros ambientes e a partir de novos perfis profissionais. No artigo “Tendências sobre o futuro da montagem e construção” apresentamos alguns exemplos de inovações que estão sendo incorporadas ao setor.

Independente de quem seja o agente externo no processo de “Outside In” da inovação aberta, o importante é que um novo cenário de desenvolvimento de ferramentas, processos e modelos de trabalho para o aumento da produtividade deverá surgir nos próximos tempos para atender este potencial de crescimento represado ainda em práticas tradicionais da condução dos projetos de construção. As empresas que mais se aproximarem desta nova forma de trabalho, consequentemente poderão se destacar em um novo patamar de produtividade e competitividade.

Fontes:
Imagining construction’s digital future. McKinsey, 2016.
Shaping the Future of Construction: A Breakthrough in Mindset and Technology. World Economic Forum, 2016.